Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

Arquivo para a categoria ‘Milan Kundera’

Milan Kundera – A Valsa dos Adeus


A Cia das Letras está publicando A Valsa dos Adeus de Milan Kundera que tem a seguinte sinopse:

Em um pequeno balneário decadente, oito personagens se ligam de maneiras improváveis. Esterilidade, amor não correspondido, adultério, depressão, aborto: Kundera reúne neste romance todos os elementos que podem perturbar o amor.
Pares se encontram e desencontram como se rodopiassem ao som de uma valsa. A música dá partida para o tema inicial do livro: a gravidez indesejada de uma jovem em contrapartida ao desejo de ser mãe que leva as mulheres até a estação de águas. Aos poucos, Milan Kundera nos apresenta a outros pares, a outros temas. E, através desses personagens, o autor levanta questões mais do que nunca atuais, como a ética dos processos de fertilização, a traição entre amigos, os limites da paixão, as armadilhas do ciúme, o despertar do erotismo, a necessidade de tomar as rédeas da própria vida ou morte. Aos poucos Kundera vai desmontando essa ciranda para montar um desfecho surpreendente e ousado.

Milan Kundera – A Identidade

Acabei de ser relançado, agora em edição Cia de Bolso pela Companhias das Letras, o livro A Identidade de Milan Kundera, que tem a seguinte sinopse:
Chantal, uma bela mulher mas não tão jovem, descobre na praia um mundo que não lhe agrada: os homens lhe parecem ridículos, infantilizados, voltados só para os filhos. São todos “papais”, desprovidos de qualquer encanto erótico. Fazendo graça, ela diz a si mesma: “Vivo num mundo em que os homens já não se viram para me olhar”. Logo depois ela repetirá essa frase a seu companheiro, que será invadido por um sentimento de compaixão pela mulher amada. Jean-Marc sabe que os olhares do amante não costumam bastar a uma mulher: a confirmação de um núcleo muito profundo da intimidade feminina parece depender de homens desconhecidos. Pouco a pouco Milan Kundera levará Chantal e Jean-Marc para a fronteira invisível que separa o real e o sonho, construindo um pesadelo em que o mais assustador será perder a identidade do outro.

Milan Kundera – A Arte do Romance

Acabei de ser relançado, agora em edição Cia de Bolso pela Companhias das Letras, o livro A Arte do Romance de Milan Kundera, que tem a seguinte sinopse:
“A Arte do Romance” é a confissão nascida da experiência prática do romancista. Nele são discutidas em profundidade a evolução do romance e seus aspectos centrais (de Cervantes a Proust, passando por Hermann Broch e Kafka), pelo olhar subjetivo de um artíficie que vê ameaçada a continuidade de seu trabalho: escrito ainda sob o forte impacto da crítica francesa da época do nouveau roman e dos ataques pós-modernos, estes ensaios procuram restaurar o sentido do romance como gênero autônomo, após o esgotamento da experimentação modernista, sem ceder às tentações que desejavam a recuperação da narrativa romanesca do século XIX.