Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

Arquivo para a categoria ‘Adriana Calcanhotto’

Adriana Calcanhotto – Saga Lusa

A Editora Cobogó publicou o livro Saga Lusa de Adriana Calcanhotto que tem a seguinte sinopse:
Em “SAGA LUSA”, Adriana Calcanhotto relata com muito humor e ironia as peripécias por que passou durante a turnê portuguesa do disco Maré, em maio e junho de 2008. Após um vôo Rio-Lisboa sem dormir, entrevistas na aterrissagem, um show em que falta luz e é irresistível continuar cantando, e um desastroso coquetel de remédios para combater uma gripe fortíssima, Adriana tem um surto psicótico induzido por medicamentos que a obriga a cancelar, por vários dias, os compromissos de sua turnê. Convalecendo em um quarto de hotel, ainda sem conseguir dormir, dividida entre médicos, remédios, exames, e o temor de ignorar quando tudo aquilo passaria, ela começa a escrever compulsivamente. Adriana busca afastar o medo – e reencontrar o equilíbrio e a lucidez – narrando sua saga, rindo de si mesma no laptop, revirando a língua portuguesa do avesso, divertindo-se com canções e livros que insistem em invadir sua escrita. Na Saga Lusa de Adriana, em meio a tantos sustos e surpresas, apenas uma certeza: a de que “A alegria é a prova dos nove(s)”.”Voltei do segundo show pálida, trêmula, mas mantendo a pose no meu deslumbrante robe azul. Subi no elevador com uns africanos que se entreolhavam, tentando localizar de que tribo são as senhoras que andam de robe de veludo e havaianas, com uma braçada de flores na mão e olheiras que as fazem parecer um urso panda disfarçado de cantora – vestida e com a maquiagem borrada pela ex-mulher do Gerald Thomas. Eu tremia de frio, mas sorri, claro, pros africanos. Tomei um banho quentíssimo, durante longos minutos porque, pra mim, esta é a melhor hora dos shows e porque precisava me aquecer e não conseguia. Um urso panda certamente não se enganaria, mas eu, até então, não tinha me dado conta de que estava ardendo em febre e que um banho pelando não ajudaria muito, sabe que o QI das cantoras…” Trecho do livro Saga Lusa
Anúncios

Marisa Monte – Dueto em Porto Alegre com Adriana Calcanhotto

Divulgou recentemente a seguinte notinha sobre Adriana Calcanhoto.

Além de divulgar esta excelente cantora, o mesmo menciona que o disco novo de Adriana Calcanhoto chamado Maré traz uma participação de Marisa Monte na faixa Porto Alegre (Nos Braços do Calipso).

Uma das últimas composições de Dorival Caymmi (lançada pelo autor em 1985), Sargaço Mar fecha o oitavo álbum de Adriana Calcanhotto, Maré, que chega às lojas em abril pela gravadora Sony BMG. A faixa conta com a participação de Gilberto Gil ao violão.
Produzido por Arto Lindsay, Maré remete ao quarto álbum da compositora, Maritmo, editado em 1998 com a participação luxuosa do citado Dorival Caymmi em Quem Vem pra Beira do Mar (1954). Maré é o segundo CD da trilogia marítima da artista.
Com 11 músicas, Maré traz o primeiro dueto de Calcanhotto com Marisa Monte, que faz vocais em Porto Alegre (Nos Braços de Calipso), mitológico tema de Péricles Cavalcanti, compositor recorrente na discografia de Calcanhotto.
O time de convidados inclui também Jards Macalé, que toca violão em Teu Nome Mais Secreto, última parceria da artista gaúcha com o poeta Waly Salomão (1944 -2003). A faixa Sem Saída marca a conexão de Calcanhotto com outro poeta, o concretista tropicalista Augusto de Campos, autor dos precisos versos musicados por Cid Campos.
Entre inéditas como a faixa-título (parceria de Calcanhotto com Moreno Veloso), Seu Pensamento (parceria com o baixista Dé Palmeira) e Um Dia Desses (primeiro single do CD), Calcanhotto apresenta regravações de músicas como Mulher Sem Razão, Onde Andarás e Três. Mulher Sem Razão é parceria feita em 1986 por Cazuza, Dé e Bebel Gilberto. Foi gravada em 1989 por Cazuza no disco Burguesia. Onde Andarás é parceira de Caetano Veloso com o poeta Ferreira Gullar e foi lançada por Caetano no álbum de de 1967 em que apresentou músicas como Tropicália. Já Três é o tango-canção de Marina Lima e Antonio Cicero que Marina lançou no show Primórdios e gravou em 2006 no disco Lá nos Primórdios. Moreno Veloso toca violoncelo no registro de Calcanhotto. Outra regravação é Para Lá, parceria da cantora com Arnaldo Antunes, lançada por Antunes em seu álbum Qualquer (2006). Músicos como Domenico Lancellotti e Rodrigo Amarante também estão em Maré, último disco previsto no atual contrato de Adriana com a Sony BMG. Eis, na ordem, as 11 faixas do álbum:

1. Maré (Adriana Calcanhotto e Moreno Veloso)

2. Seu Pensamento (Adriana Calcanhotto e Dé Palmeira)

3. Três (Marina Lima e Antonio Cicero)

4. Porto Alegre (Nos Braços de Calipso) (Péricles Cavalcanti) – com Marisa Monte

5. Mulher Sem Razão (Bebel Gilberto, Cazuza e Dé Palmeira)

6. Teu Nome Mais Secreto (Adriana Calcanhotto e Waly Salomão) – com Jards Macalé ao violão

7. Sem Saída (Cid Campos e Augusto de Campos)

8. Para Lá (Adriana Calcanhotto e Arnaldo Antunes)

9. Um Dia Desses (Adriana Calcanhotto e Kassin)

10. Onde Andarás (Caetano Veloso e Ferreira Gullar)

11. Sargaço Mar (Dorival Caymmi) – com Gilberto Gil ao violão